Câncer de boca: saiba como fazer o autoexame

O câncer de boca é um dos tipos menos frequentes, representando menos de 5% do total da incidência de câncer no mundo. No Brasil, no entanto, a doença tem maior expressividade, por ser um país tropical e com muitos trabalhadores rurais submetidos à exposição excessiva ao sol, contribuindo para o desenvolvimento do câncer de lábio. Este tipo, por sua vez, é mais comum em pessoas brancas e registra maior ocorrência no lábio inferior em relação ao superior.

O câncer em outras regiões da boca acomete, principalmente, os tabagistas. Os riscos aumentam consideravelmente quando o tabagista é alcoólatra. É mais comum em indivíduos do sexo masculino e acima de 50 anos, embora seja observada uma crescente incidência em mulheres e em adultos jovens.

Fatores de Risco
Os principais fatores de risco são o tabagismo (cigarro, cigarrilha de palha ou cachimbos) e o consumo de bebidas alcoólicas, associados ou não a trauma crônico (como o uso de próteses dentárias mal ajustadas), além de higiene oral precária, baixo consumo de caroteno e histórico familiar de câncer.

Sintomas do câncer de boca
O principal sintoma deste tipo de câncer é o aparecimento de feridas na boca que não cicatrizam em uma semana. Outros sintomas são ulcerações superficiais com menos de dois cm de diâmetro e indolores, podendo sangrar ou não, e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal.

Dificuldade de fala, mastigação e deglutição, além de emagrecimento acentuado, dor e presença de linfadenomegalia cervical (íngua no pescoço) são sinais de câncer de boca em estágio avançado.

Assim como as mulheres devem examinar as mamas e os homens os testículos, a boca deve ser autoexaminada regularmente. Por isso, atenção a sangramentos gengivais, úlceras que não saram, aparecimento de nódulos e crescimentos na mucosa da boca e na língua são tão importantes. Além disso, uma consulta de revisão no dentista deve ser feita pelo menos uma vez ao ano.

O autoexame
O objetivo do autoexame é identificar lesões precursoras do câncer de boca.

Deve ser feito em um local bem iluminado. Observe sinais como mudança na cor da pele e mucosas, endurecimentos, caroços, feridas, inchações, áreas dormentes, dentes quebrados ou amolecidos e úlcera rasa, indolor e avermelhada. Lave bem a boca e remova próteses dentárias, caso faça o uso. Siga as instruções:

– De frente para o espelho, observe a pele do rosto e do pescoço. Veja se encontra algum sinal que não tenha notado antes. Toque suavemente com as pontas dos dedos todo o rosto.- Puxe, com os dedos, o lábio inferior para baixo, expondo a sua parte interna (mucosa). Em seguida, apalpe todo o lábio. Puxe o lábio superior para cima e repita a palpação.

– Com a ponta do dedo indicador, afaste a bochecha para examinar a parte interna da mesma. Faça isso nos dois lados.

– Com a ponta do dedo indicador, percorra toda a gengiva superior e inferior.

– Introduza o dedo indicador por baixo da língua e o polegar da mesma mão por baixo do queixo e procure palpar todo o assoalho da boca.

– Incline a cabeça para trás e, abrindo a boca o máximo possível, examine atentamente o céu da boca. Palpe com o dedo indicador todo o céu da boca. Em seguida diga ÁÁÁÁ… E observe o fundo da garganta.

– Ponha a língua para fora e observe a parte de cima. Repita a observação com a língua levantada até o céu da boca. Em seguida puxando a língua para esquerda, observe o lado esquerdo da mesma. Repita o procedimento para o lado direito.

– Estique a língua para fora, segurando-a com um pedaço de gaze ou pano, apalpe em toda a sua extensão com os dedos indicadores e polegar da outra mão.

– Examine o pescoço. Compare os lados direito e esquerdo e veja se há diferenças entre eles. Depois, apalpe o lado esquerdo do pescoço com a mão direita. Repita o procedimento para o lado direito, palpando com a mão esquerda. Veja se existem caroços ou áreas endurecidas.

– Por fim, introduza o polegar por debaixo do queixo e apalpe suavemente todo o seu contorno inferior.

Como prevenir
– Pare de fumar e evite o consumo de álcool;

– Evite exposição contínua e sem proteção aos raios solares;

– Cuide dos traumas crônicos na mucosa bucal, tais como: prótese mal adaptada, coroas dentais fraturadas, raízes residuais etc.;

– Cuide da higienização oral, escovando os dentes no mínimo quatro vezes ao dia, fazer uso do fio dental diariamente e o autoexame orientado acima;

– Alimente-se com uma dieta balanceada e evite o consumo de açúcar em excesso (prevenindo também a formação de cáries) e, principalmente, fora das refeições;

– Procure um dentista ou médico em caso de aparecimento de qualquer lesão que não regrida no espaço de uma a duas semanas;

Diagnóstico
O diagnóstico do câncer de boca é feita através de biópsia. Já o exame de raio-X pode ser útil para averiguar o comprometimento de ossos, como a mandíbula.