Aspartame causa câncer?

Você que é jovem, diabético ou não, não pode ou não deseja engordar deve tomar cuidado com a hipertensão arterial.
Você que adiciona ao seu leite, ao seu café ou a quaisquer outros alimentos algumas marcas de produtos de grande confiança e credibilidade, como sacarina, ciclamato e, mais modernamente, aspartame, fique alerta. Apesar do bonito nome, o aspartame significa a mistura do metanol (o mesmo que vai na gasolina) com o ácido aspártico.

Sempre houve grandes dúvidas sobre as suas consequências na saúde humana, mas, depois de uma extensa e séria revisão bibliográfica em várias fontes de pesquisadores e grandes universidades por todo o mundo, temos algumas novidades e conclusões que devem ser de conhecimento de toda a sociedade.

O câncer é causado por vários motivos: vírus, radiações, substâncias químicas, genética, mas isso não é consenso, a teoria mais aceita é a multifatorial, isto é, várias causas agindo ao mesmo tempo.

Observamos que o aspartame aumenta a incidência e o grau da malignidade dos tumores cerebrais, os gliomas.

O Centro de Controle de Doenças de Atlanta, nos EUA, vem registrando, por exemplo, problemas neurológicos, digestivos e alérgicos a partir da ingestão desses produtos.

Sabemos que a sacarina sódica aumenta a incidência e a extensão de lesões pré-neoplásicas (papilar e modular) e leucoplásicas.

Na literatura médica mundial, vemos a relação causa-efeito do aspartame com os cânceres de mama, bexiga e cerebral.

Concluímos, após essa larga revisão, que deve ser proibida a ingestão de adoçantes artificiais por crianças e gestantes, nos mesmos moldes do tabaco, com a menção proibitiva nas embalagens comerciais alertando sobre os malefícios desses produtos à saúde, isto é, cânceres de mama, bexiga e cérebro.

 
Trecho do livro: Tenho câncer e agora? / Dr.Ricardo Teixeira